Coraci Ruiz

Coraci Ruiz é documentarista desde 2003, quando participou da fundação da produtora Laboratório Cisco, em Campinas. Mestre em Cultura Audiovisual e Mídia (2009), atualmente é doutoranda em Multimeios, ambos no Instituto de Artes da Unicamp. Também faz parte de sua formação o curso “Realización de Documentales” da EICTV (Cuba).

Entre suas principais realizações estão o longa-metragem “Cartas para Angola” (2012), que participou de mais de 30 festivais em 16 países, e foi premiado no Brasil, em Angola, Portugal e Bélgica; uma série de programas para o Sala de Notícias (entre 2012 e 2014), os curtas “Saudade, vídeo-cartas para Cuba” (2005), “Outra Cidade” (2009), “Cartas do Desterro” (2015) e “No tempo do Dashicô” (2016), todos dirigidos em parceria com Julio Matos.

Como Diretora de Fotografia, assina todos os projetos que dirige; além destes, a série televisiva “Taquaras, Tambores e Violas” (primeira temporada de 2015, segunda com estreia prevista para o segundo semestre de 2018), dirigida por Hidalgo Romero; a série “Chão de Fábrica” (2017), o longa-metragem “Esquerda em Transe” (em edição) e o média-metragem “O fim do esquecimento” (2013), todos de Renato Tapajós; diversos curta-metragens, entre eles “A mulher da casa do arco-íris” (2018), de Gilberto Alexandre Sobrinho, “Quem? Entre muros e pontes”, da Maria Farinha Filmes (2014) e “Re-making the past: a response to inspiration from prehistory”, de Zan Barbeton (2015); seis programas Sala de Notícias e diversos outros vídeos institucionais.