Marcelo Félix

Marcelo Félix é especialista em Gestão de Projetos Culturais formado pelo  CELACC – USP, com graduação em Imagem e Som – Produção Audiovisual pela UFSCar e em Ciências Sociais pela UNICAMP. Desenvolve pesquisa nas áreas de cultura, diversidade, políticas públicas e mecanismos de incentivo para o audiovisual.

É produtor de filmes e séries, com experiência profissional principalmente na área de produção executiva e produção de base. Nessas áreas destacam-se os projetos dos quais participou na produtora Laboratório Cisco, como o documentário “Esquerda em Transe” (2019) e a série “Chão de Fábrica” (2016) do diretor Renato Tapajós; o curta metragem “Rio Verdadeiro” (2016), melhor filme no Ecocine 2016, e a série “Taquaras, Tambores e Violas – Primeira e Segunda Temporadas” (2015 e 2019) do diretor Hidalgo Romero; e os curtas “A Mulher da Casa do Arco-Íris” (2016) de Gilberto Alexandre Sobrinho e “Cartas do Desterro” (2015) de Coraci Ruiz e Julio Matos, exibidos em vários festivais brasileiros e internacionais.

Trabalhou também como assistente de produção executiva na produtora Mar Filmes no longa “Uma Nova Chance” (2019) de Maurício Eça e no documentário “Free Free” (2019) de Joana Mariani. Foi produtor de set do curta “Trópikos” (2014) de Frederico Foroni do Estúdio Terra Forte, produtor de casting do curta “Abre o Jogo” (2014) de Renato Rodrigues e assistente de direção do curta “Viajante dos Sonhos” (2013) de Ivan M. Franco. Além disso, foi diretor, roteirista e produtor dos curtas “Porteiros Noturnos” (2012), “Meu Bem” (2013), “Os Bastidores” (2014) e “Territórios da Cultura e da Fé” (2018).